sexta-feira, 9 de outubro de 2009

MICO-LEÃO-PRETO (Leontopithecus chrysopygus)

FOTO TIRADA PELO INSTITUTO DE PESQUISAS ECOLÓGICAS (IPÊ)

O MICO-LEÃO-PRETO (Leontopithecus chrysopygus) é do Reino Animália, da Classe Mammalia, da Ordem Primata, da Família Cebidae e do Gênero Leontopithecus. Podemos dizer que um de seus maiores inimigos são o ser humano, a onça pintada e as aves de rapina, em especial o Gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus).

O MICO-LEÃO-PRETO (Leontopithecus chrysopygus) é um primata brasileiro que é encontrado apenas no estado de São Paulo que vive em florestas secundárias e primárias. Ele é coberto quase inteiramente por uma pelagem preta, porque a parte inferior de seu corpo é diferente possuindo um marrom esverdeado. A Sua face, mão e pés não possuem pelos. Os membros superiores são maiores que os membros inferiores e a sua cauda não é preênsil, que quer dizer que ele não pode utilizar a sua cauda para se agarrar nas árvores. Todas as suas unhas são em forma de foice que serve para agarrar nas árvores, exceto o maior dedo que possui uma unha reta. O seu peso varia de 300 a 700 gramas e seu tamanho da cabeça até no final da cauda varia de 60 a 70 centímetros. Raramente vão ao chão para se alimentar, vivem mais nas copas das árvores se alimentando de insetos e frutos, mas também podem comer pequenas aves e pequenos lagartos, também comem ovos de pássaros e invertebrados. Uma coisa interessante dizer é que o Mico-leão-preto já habitou por toda a Mata Atlântica do estado de São Paulo, mas hoje em dia só encontramos em duas pequenas áreas, uma é o Parque Estadual do Morro do Diabo que se localiza na cidade de Teodoro Sampaio perto da divisa do estado do Paraná aonde passa o Rio Parapanema, aonde eu pude com uns amigos (Menq e Poneis) conhecer a um tempo a traz, mas não tive a sorte de ter visto o Mico-leão-preto por causa da chuva, e o outro local é a Reserva Caiteu que fica no centro de São Paulo.

São animais muito sociáveis e diurnos, a maior parte do tempo convive com seu grupo familiar, o grupo familiar consiste no casal reprodutor e nas suas duas últimas ninhadas. Interessante dizer é que quando os filhotes machos do casal atingem a maturidade sexual, eles abandonam o grupo e vão atraz de uma parceira para reprodução. Os animais são monógamos que quer dizer que é a relação entre dois primatas para sempre, mas pode ocorrer a poligamia que é o vínculo com mais de um primata, a fêmea pode se reproduzir com mais de um primata, isso acontece por causa do desmatamento e a falta de fêmea na região, isso faz com que os machos pensem que os filhotes são seus e acabem cuidando. Os Micos-leões-pretos maioria das vezes dão a luz a gêmeos, embora podem nascer trigêmeos ou até quadrigêmeos, a gestação é de 125 a 132 dias, geralmente parem na estação chuvosa entre os meses de setembro e março. Tanto o pai quanto a mãe cuidam dos filhotes, os filhotes nascem com pêlos e de olhos abertos, mas são completamente dependentes de seus pais. Nas três primeiras semanas os filhotes são carregados pela mãe e depois da terceira semana o pai que carrega os filhotes na maior parte do dia, só entrega a mãe a cada duas em duas horas para serem alimentados. Os filhotes são desmamados depois dos três meses, isso vai depender de cada animal, mas os filhotes não deixam o grupo, só deixam o grupo quando atingem a maturidade sexual que ocorre na idade de 16 a 24 meses.


PENSAMENTO


Este pequeno e frágil primata está ameaçado de extinção por causa de ganância da população humana, que só quer saber de mais e mais e acaba por final esquecendo que nesse mundo que vivemos não vive apenas a sociedade humana, mas sim também animais belos e lindos que por sinal deveriam ser respeitados no seu habitat natural, mas os humanos não pensam nos animais só neles próprios e acabam destruindo florestas e com ela destruindo os animais, não importa qual o tamanho do animal que seja a destruição dos humanos irão afetar até os grandes animais। E até aonde isso vai parar? E a ganância pelo dinheiro vai até aonde? E o dinheiro se come? Pensem bem antes de qualquer atitude।






video

domingo, 4 de outubro de 2009

BUGIO-RUIVO (Alouatta fusca clamitans)

O BUGIO-RUIVO (Alouatta fusca clamitans) é do Reino Animália, da Classe Mammalia, da Ordem Primata, da Família Atelidae e do Gênero Aloutta. Podemos dizer que um dos seus maiores inimigos é o ser humano, cachorros e a onça pintada.

O Bugio-ruivo (Alouatta fusca clamitan) é uma espécie de animal herbívoro, com uma dieta composta por frutos, folhas, sementes e flores. Está entre os maiores primatas neotropicais, com comprimento de 30 a 75 cm. Sua pelagem varia de tons ruivos, ruivo acastanhados, castanho e castanho escuro. Ele é famoso por seu grito, que pode ser ouvido em toda a mata, e pela presença de pêlos mais compridos nos lados da face formando uma espécie de barba. Habita a Mata Atlântica, desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, chegando ao norte da Argentina, na região de Misiones. A espécie consta na lista do IBAMA como criticamente em perigo e vulnerável. O desmatamento ameaça a sobrevivência dos bugios de diferentes maneiras, a mais evidente é a retirada da vegetação, o que restringe seus ambientes a pequenos fragmentos isolados, também estão ameaçados de extinção devido à caça e pela proximidade com a população humana (atropelamento, ataques de cachorros e choques em fios elétricos).

LETRAS DOS PAMPAS COM HOMENAGEM AO BUGIO

Letras do Ritmo Bugio.

Bugio Roncador
Xiru Missioneiro
Composição: Doné Teixeira

O tempo tava pra chuva e de muito longe se ouviu
O bugio se alvorotou e roncou na costa do rio
Mas só fez uma viração e pegou a roncar de frio
E o bugio pra ser bugio tem que roncar como bugio

O cachorro entrou no mato, viu um barulho e latiu
O bugio pregou-lhe um berro e a bugia a preveniu
E nas costas da bugia o bugiozinho também viu
E o bugio pra ser bugio tem que roncar como bugio

Num fandango de galpão é chamado de bugio
To tocando desse jeito e uma moça me pediu
Chacoalhando bem o fole no mais qualquer um assovio
E o bugio pra ser bugio tem que roncar como bugio

Os Bugios
Os Serranos

Os bugios que são bichos do mato vivem andando e trepados nos galhos
Se atirando de um lado pro outro vivem soltos e sem atrapalhos
Com a cola seguram o corpo quando saltam e pulam ligeiros
Caminhando só andam de lado formam coro roncando faceiros
Caminhando só andam de lado formam coro roncando faceiros

(Cada vez que os bugios lá no mato
Muito forte se põe a roncar
Também ronca um fole de gaita
E um gaúcho se põe a cantar)

Os gaiteiros antigos do pago que faziam os baixos roncar
Manuseavam as gaitas a ponto nos fandangos que iam tocar
Pelo ronco emanado dos foles comparado ao roncar dos bugios
Se criou no Rio Grande o ritmo logo a dança no jeito surgiu
Se criou no Rio Grande o ritmo logo a dança no jeito surgiu



video

sábado, 12 de setembro de 2009

MACACO PREGO (Cebus nigritus)


O MACACO PREGO (Cebus nigritus) é do Reino Animália, da Classe Mammalia, da Ordem Primata, da Família Cebidae e do Gênero Cebus. Uns de seus maiores inimigos é o Gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus), as cobras, em essencial a Jibóia (Boa constrictor), Águias como a Harpia (Harpia harpyja) e alguns felinos de porte maior que ele.

Os macacos-pregos (Cebus nigritus) são primatas que habitam as florestas Neotropicais, vivem em grupos sempre liderados por um macho dominante. Possui forte organização social entre os indivíduos do grupo. São conhecidos como um dos mais robustos e inteligentes macacos do novo mundo. Seus variados comportamentos estão diretamente relacionados com o tipo de habitat aonde vivem, podendo ser semelhantes aos comportamentos de chimpanzés, como por exemplo a utilização de rochas para serem usadas como ferramentas para quebrar sementes de coquinhos (Syagrus romanzoffiana) e de gravetos na obtenção de inseto. Os macacos-pregos conseguem transmitir conhecimentos para indivíduos mais jovens como por exemplo o uso de ferramentas. Também podem bater pedras uma contra a outra para gerar sons que afastam seus predadores, todavia este comportamento esta restrito a poucos grupos de macacos-pregos. Esses macacos têm uma grande capacidade de adaptação ao meio ambiente, podendo viver em pequenas florestas fragmentadas pelo homem. Em algumas situações são considerados pragas em relação a áreas de cultivo. Outro problema comum relacionado à espécie é que em áreas urbanas podem entrar em residências para buscar alimento conseqüentemente trazendo problemas as pessoas próximas, bem como aumentando a possibilidades de mordidas em humanos.



video

domingo, 30 de agosto de 2009

Primatas não humanos.




Os primatas são mamíferos, onde estão incluídos os micos, macacos, gorilas, chimpanzés, orangotangos, lêmures, os babuínos. Os seres humanos também são primatas, mas só irei me referir aos primatas não humanos. O polegar ou dedo oposto, também é uma característica, mas não é exclusiva dos primatas (os gambás também possuem polegares). Alguns macacos têm os polegares apenas nos seus pés e não nas mãos. O ramo da Mamalogia (é o ramo da biologia que se ocupa com o estudo dos mamíferos), e que estuda os primatas é a Primatologia.
A ordem dos primatas é dividida em três grupos principais: os Prossímios, Platirrinos (que são os macacos do novo mundo) e os Catarrinos (que são os macacos do velho mundo), grupo no qual o ser humano se inclui. Os Prossímios se caracterizam por seu focinho e sua cauda longa e, nas espécies mais primitivas, por uma tendência à disposição lateral dos olhos. Neles se incluem os Lemuriformes, Chiromyiformes, Lorisiformes e Tarsiiformes que não são do Brasil. Os Platirrinos possuem narinas distantes entre si e voltadas para os lados. Os Catarrinos se caracterizam por ter o focinho mais ou menos reto e narinas dirigidas para frente.